Homenagem às vítimas da catástrofe de Figueiró dos Vinhos e intercessão pelos seus familiares

IMG_1756 (2)

Esta manhã, na Jubileu, começámos por interceder a Deus pelos familiares das vítimas da catástrofe de ontem em Figueiró dos Vinhos, porventura a de maiores custos em termos humanos durante muitos anos. A Margarida Brás tocou uma peça clássica no piano em homenagem aos mortos e feridos.

Aventuras e desventuras duma Semente

Iniciámos hoje uma série de palestras bíblicas sobre a Palavra de Deus enquanto semente, e todas as implicações que a metáfora tem para aqueles que a ouvem. Tal como a semente, a Palavra tem potencial para dar fruto. Segundo os dicionários, semente é “a parte do fruto própria para a reprodução”; assim, a Palavra de Deus é própria para se reproduzir”. Mas também é “o óvulo maduro e já fecundado”; a Palavra de Deus não precisa de amadurecer. Está pronta para a reprodução. Além disso já foi fecundada pelo Espírito Santo.

Esta primeira reflexão foi sobre a Palavra pisada e roubada (Lc 8:5; 12).

IMG_1760 (2)

 

Visão e estratégia

IMG_1753 (3)

Esta manhã fomos abençoados pela presença e pregação do Pr. Fernando Caldeira da Silva (África do Sul), que se referiu ao profeta Ezequiel quando, no exílio da Babilónia, no meio do cativos, junto ao rio Quebar, recebeu uma visão de Deus, mas também uma estratégia para a restauração do povo judeu. Ainda hoje se “abrem os céus” e Deus dá visão e estratégia ao seu povo.

“Life Sound Choir” encerrou celebrações dos 70 anos da Igreja do Jubileu

IMG_1722 (2)

Ontem a Igreja do Jubileu encerrou as celebrações do seu 70º aniversário, que decorreram durante este mês de Maio, com a visita do inspirador Life Sound Choir, grupo musical composto por elementos de diversas igrejas evangélicas, dirigido por Armando Miguez.

Entre montes e vales

O Pr. Brissos pregou sobre a um dos grandes problemas das pessoas de hoje, que é a falta de firmeza e de consistência, a ausência de convicções, a inconstância. Um dia no cimo da montanha, outro no vale. Dizem que é uma característica dos portugueses, que passam rapidamente da euforia à depressão e vice-versa. A perturbação bipolar cristã é uma doença espiritual.

IMG_1733 (2)

 

O verdadeiro (e único) altar do mundo

O altar do mundo

Reflexão bíblica sobre o único local que pode ser considerado o altar do mundo: o Calvário, onde Jesus se entregou a si mesmo por nós, tornando-se o Redentor da humanidade, e que não pode ser substituído nunca por qualquer santuário humano, mariano ou não.

1 Timóteo 2:1-5: “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.”

 

 

Há resposta para a depressão

Abatidos...

 

Tema da reflexão bíblica esta manhã, na Jubileu, que contou com um momento de referência ao Dia da Mãe, em homenagem a todas as mães.

Segundo a imprensa: “As estimativas da OMS mostram que, em 2015, 788 mil pessoas cometeram suicídio, correspondendo a 1,5% de todas as mortes em todo o mundo. Foi inclusive a segunda principal causa de morte entre os 15 e os 29 anos. Em Portugal, dados de 2014 divulgados pela Direção-Geral da Saúde mostra que a taxa de suicídio passou para 11,7 por 100 mil habitantes, quando em 2012 e 2013 tinha sido de 10,1 por 100 mil habitantes. O suicídio é a segunda principal causa de morte entre os 15 e os 29 anos”. Há 300 milhões de pessoas deprimidas no mundo. Em Portugal são cerca de 400 mil… A depressão será, dentro de alguns anos, a primeira doença em todo o mundo. Porquê? Porque as pessoas estão a viver contranatura.

A boa notícia é que Deus tem resposta para este problema. A Bíblia menciona muitos homens e mulheres que tiveram quadros depressivos: Ana sentiu-se “amargurada de alma” — uma expressão que significa ‘aflita’ e ‘muito triste’, por não conseguir engravidar (1 Samuel 1:10). O profeta Elias ficou tão triste a ponto de pedir a Deus que tirasse sua vida, por Jezabel querer matá-lo (1 Reis 19:4). Jonas ficou triste e desejou morrer quando a aboboreira secou (Jonas 4:8).

Por vezes somos abatidos mas não destruídos, pois podemos contar sempre com o nosso Deus para nos restaurar.

 

 

 

 

 

 

A ressurreição e a vida

O texto bíblico de João 11:25 diz: “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”. Jesus dialoga com Marta em Betânia, mas esta não entende que Jesus Cristo vai ressuscitar logo de seguida o seu irmão Lázaro. Embora Marta tivesse fé em Jesus, ela não estava pronta para ver a manifestação do poder de Deus (v27). Ponto de partida para a pregação de Páscoa.

Celebração da Ressurreição 2017

O Cristo Ressuscitado convoca-nos a viver em novidade de vida. Vivamos essa vida como quem foi libertado do poder da morte e “passou da morte para a vida”.

 

Estêvão e Jesus face à morte

culto do Calvário

 

Há similaridades na atitude perante a morte entre Estêvão (o primeiro mártir do Cristianismo) e Jesus, para além de ambos terem morrido como mártires. Em particular há semelhanças entre os dois, face à morte. Base da reflexão bíblica de ontem à noite no Culto do Calvário.

 

O exemplo de ambos ainda fala hoje. Estêvão é o exemplo do servo, diácono e pregador. A sua morte foi consequência da sua vida de testemunho. Jesus é o nosso exemplo e modelo em tudo, e a sua morte foi diferente da de qualquer mártir do Cristianismo, porque foi substituinte (vicária), redentora/salvadora, e na ressurreição Jesus quebrou os grilhões da morte, oferecendo-nos vida eterna.

Sejamos gratos. Agradeçamos a Deus a sua Salvação em Cristo.

O grande segredo revelado na Última Ceia

IMG_1549 (2)

Realizou-se ontem o habitual Concerto de Páscoa na Igreja do Jubileu. O Pr. Brissos reflectiu sobre a Última Ceia de Cristo com os discípulos, realçando alguns ensinamentos do Mestre e em particular o grande segredo da felicidade, que andava a ser revelado por Ele desde o Sermão do Monte.

conc pascoaOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

As perguntas retóricas de Paulo

5 perguntas aos romanos

Abençoada Celebração de Ceia do Senhor esta manhã, na Jubileu, com sermão baseado em Romanos 8:28-39.

A riqueza da igreja de Roma estava na sua diversidade (judeus e gentios, homens e mulheres, ex-escravos e gente de dinheiro). Roma era o centro do Império Romano. Ali se constituíram muitas igrejas domésticas (na casa de Prisca e Áquila, na casa de Aristóbulo, na casa de Narciso, na casa de Asíncrito e na casa de Filólogo).

Há neste texto um conjunto de 5 perguntas retóricas, formuladas apenas para dar aos cristãos de Roma a consciência de que em tudo somos “mais do que vencedores” através de Jesus Cristo. Portanto, para estimular a sua fé e confiança em Deus, mesmo nos momentos difíceis.

Pergunta retórica é uma interrogação que não tem como objectivo obter uma resposta, mas sim estimular a reflexão do individuo sobre determinado assunto. A pessoa que faz uma pergunta retórica já sabe a resposta, visando ajudar o destinatário da interrogação a reflectir ou a entender determinado tema, assunto ou situação.

Paulo conclui: nada e ninguém nos pode separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor (8.39). Mas se ninguém me pode separar do amor de Cristo; se sou mais do que vencedor face a todos os poderes, porque razão tantos ficam pelo caminho? Porque só eu me posso separar do amor de Deus!…

Aprendendo com as sequóias gigantes

o-segredo-das-sequoias

Esta manhã, na Jubileu, celebração de Ceia do Senhor com meditação bíblica inspirada no segredo das sequóias gigantes da Califórnia: as raízes entrelaçadas. O individualismo extremo está a destruir as relações entre pessoas. É preciso descobrir que há algo de gratificante e recompensador no trabalho de equipa. Ele permite complementar forças, habilidades, talentos, dons e competências, e ainda compensar as fraquezas de cada um. Na família, no trabalho, na escola, na igreja, no bairro.

 

“Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.” (caminhar juntos é sempre bom, quando há unidade); “É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes.” (a unção sacerdotal significa que a presença e a graça de Deus selam a unidade do seu povo); “Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre.” (o orvalho representa bênção dos céus, frescura e vitalidade espiritual, e a vida de Deus em nós).